Você está aqui: Capa » NOTÍCIAS » Justiça nega pedido de ateus para barrar Museu da Bíblia

Justiça nega pedido de ateus para barrar Museu da Bíblia

Magistrado afirmou que o livro é o mais influente do Brasil e patrimônio histórico da humanidade

A Justiça do Distrito Federal negou um pedido da Associação Brasileira de Ateus e Agnósticos que tentava suspender a construção do Museu da Bíblia. A decisão é do juiz Paulo Afonso Cavichioli Carmona, da 7ª Vara de Fazenda Pública de Brasília.

O ATEA alegava que o dinheiro usado para a construção do local poderia ser destinado para outras áreas, como saúde e educação, que atendem a todos e não apenas “alguns” fiés. Mas, para a justiça, não há ato administrativo a sofrer controle judicial, pois o projeto ainda está na fase de estudos.

Segundo o magistrado, a Bíblia ainda é considerada patrimônio histórico da humanidade e, o museu, não será um templo. Ele concluiu falando sobre a laicidade do estudo, explicando que não é motivo para excluir o reflexo cultural do livro mais influente do Brasil. Pleno News

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*