Você está aqui: Capa » CINEMA/TV » “As histórias bíblicas mexem com o público e com a gente”

“As histórias bíblicas mexem com o público e com a gente”

Aos 20 anos, Júlia Maggessi é uma das novas apostas da Record TV. No ar na novela Jesus dando vida a uma princesa romana, ela começou na carreira aos 2 anos na novela Laços de Família (2000). Na trama de Manoel Carlos, ela esteve ao lado de Vera Fischer, de quem era neta. Coincidentemente, Helena é o mesmo nome de sua atual personagem na obra de Paula Richard.

Na trama, ela vive o dilema de ser filha do governador Pôncio Pilatos (Nicola Siri), estar apaixonada por um judeu e cada vez mais se sentir atraída pelos ensinamentos de Jesus (Dudu Azevedo). Entrevistada pelo Pleno.News, a atriz relembrou sua trajetória na TV, falou do desafio de viver uma personagem bíblica e sobre como o atual trabalho tem mexido com sua fé.

Como foi migrar das novelas contemporâneas para as religiosas?
Comecei em novelas bíblicas fazendo O Rico e Lázaro. Eu tinha 18 e sabia que o estudo teria que ser totalmente diferenciado. Tem todo um viés histórico que a gente tem que acompanhar. Agora eu não quero fazer outra coisa. Quando eu ia imaginar fazer uma princesa romana, filha de Pôncio Pilatos, que se apaixona por um mendigo que é curado por Jesus Cristo, nosso maior Mestre? É muito bom poder viver essas coisas.

E como é, aos 20 anos, remontar a uma época tão distante?
No começo da novela nós tivemos encontros com o historiador Maurício dos Santos Ferreira. Ele esclareceu nossas dúvidas e contou sobre o costume dos povos. É preciso um cuidado para não perder isso da memória ao longo da novela. No mais, a preparação é normal. São relações humanas que a gente trata com essa atenção para os comportamentos de cada época.

Na 1ª fase de O Rico e Lázaro, ela deu vida à sacerdotisa Sammu-Ramat Foto: Reprodução

Como foi viver uma aprendiz de vilã em O Rico e Lázaro?
Foi muito bom! Nós atores sempre queremos fazer um personagem diferente para sair da nossa zona de conforto. A minha personagem deu uma facada em uma menina. Foi muito louco gravar isso! Fiquei muito feliz com o resultado, me diverti e me permiti ser criativa. Até meu modo de falar era diferente.

E como está encarando o conflito de ser filha de um romano e estar apaixonada por um judeu?
A Helena não assimila muito bem essa diferença entre os povos. Ela é inteligente, estuda vários filósofos e entende que os judeus e os romanos se odeiam. Ela entende as questões políticas, mas não consegue entender o porquê disso. Independente dela ser filha de Pilatos, ela vê as atrocidades do pai, mas o ama e o perdoa por tudo. Ao mesmo tempo, ela é forte o suficiente para falar: “É isso que eu quero! A minha verdade é essa! Sou apaixonada por um judeu e você não vai mudar isso”.

Filha do governador romano, Helena é apaixonada por Judas Tadeu (Ricky Tavares) Foto: Reprodução

Na época da Bíblia, era forte a sociedade patriarcal, mas Jesus mostra mulheres com voz. Como é trabalhar esse empoderamento feminino na trama?
Estamos em uma época em que essas discussões estão aflorando muito. A TV ainda chega em lugares onde a internet não chega e é importante levar essa mensagem. Uma mulher do interior, que não teve acesso à educação, apanha do marido, sofre relacionamento abusivo, pode não saber que isso está errado.

E você foi neta de uma Helena em sua estreia na TV…
Esse nome… Estou amando tanto essa personagem que, quando eu tiver uma filha, vou chamar de Helena em homenagem à personagem e a esse nome lindo.

A atriz estreou na TV como neta de Vera Fischer Foto: Reprodução

Como a sua relação com esse personagem mexe com sua fé?
O fortalecimento da minha fé é muito recente e está ligado aos meus trabalhos na Record. Eu sou muito espiritualizada e tenho uma conexão com Deus. Eu sinto que essas histórias mexem tanto com o público quanto com a gente. Só estou aqui hoje por conta da minha fé, porque eu acreditei e porque Deus me ajudou. Fico muito feliz de fazer a novela que conta a trajetória de Jesus Cristo na Terra. É uma novela que fala de muito amor, muita compaixão com as pessoas e é exatamente esse o clima que temos aqui nas gravações. É incrível. E quais os planos para depois da novela Jesus?
Eu não quero ser presa só à atriz de TV ou de teatro. Eu sou atriz e quero fazer o máximo de coisas possíveis. Tenho um objetivo grande de fazer cinema. Mas, o trabalho que aparecer, que eu gostar do personagem, do desafio, eu vou fazer. O meu objetivo é aprender, é evoluir como atriz e viver essa realidade, mesmo com todas as dificuldades que nós, artistas, vivemos em nosso país. Ser atriz não é esse glamour todo. A gente rala muito! Fonte: Pleno News

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*