News
Você está aqui: Capa » NOTÍCIAS » Após polêmicas, Bolsonaro tem reunião fechada com R. R. Soares

Após polêmicas, Bolsonaro tem reunião fechada com R. R. Soares


Após uma sequência de polêmicas envolvendo publicações do presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, em sua conta oficial no Twitter, o Palácio do Planalto parece querer reforçar o discurso de aliança com os evangélicos, representados politicamente em sua maioria pelo segmento pentecostal e neopentecostal.

O jornalista Lauro Jardim informou em sua coluna, no jornal O Globo, que Jair Bolsonaro marcou uma reunião de portas fechadas com o missionário R. R. Soares, fundador e líder da Igreja Internacional da Graça de Deus.

Não se sabe o teor da conversa, mas o encontro deve reforçar o apoio que R. R. Soares vem declarando ao presidente, desde às eleições, quando o mesmo destacou o combate à ideologia de gênero como uma das propostas do governo.

Boicote

O encontro acontece após a publicação de que a bancada evangélica estaria irritada com o presidente Bolsonaro e planejando um boicote à tramitação da nova Previdência, por causa do seu afastamento do grupo religioso que o ajudou na eleição.

O pano de fundo para a o possível boicote, foi a demissão de quadros ligados à frente religiosa sem prévia comunicação. A bancada evangélica atribui o afastamento de Bolsonaro aos militares.

O encontro também surge poucos dias após o pastor e deputado, Marco Feliciano (Pode-SP), utilizar suas redes sociais para cobrar mais diálogo de Jair Bolsonaro com os evangélicos.

“A comunicação está péssima. O ego daqueles que vcs elegeram está tão inflado que só enxergam seus umbigos. Alguns ministros estão deslumbrados com os holofotes”, disparou Feliciano na última sexta-feira (8) em seu Twitter.

Marco Feliciano foi nomeado, nesta terça-feira,12, como um dos vice-líderes do governo no Congresso Nacional.

Outro que também criticou o governo por se distanciar do grupo religioso que foi decisivo para a eleição de Bolsonaro, foi o deputado Sóstenes Cavalcanti (DEM-RJ). “A bancada [evangélica] nunca teve espaço, mas agora está pior. Ele [Bolsonaro] só dialoga com os militares e com os filhos.”, disse ele, segundo o Estadão.

O encontro com R. R. Soares mostra que Bolsonaro parece continuar disposto a ouvir lideranças evangélicas. Resta saber se isto ocorrerá apenas em meio as polêmicas ou se também nos tempos de paz.

Fonte: O Globo e Gospel +

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*