Prefeito de Liverpool quer banir anúncios de Franklin Graham por ser “pregador do ódio”

O prefeito de Liverpool disse que Franklin Graham é um “pregador do ódio” por dizer que o casamento gay é pecado.

O prefeito de Liverpool, na Inglaterra, quer remover o anúncio de ônibus para um evento do evangelista norte-americano Franklin Graham, por considerá-lo “discurso de ódio”.

Steve Rotheram se diz contra a promoção de um “conhecido pregador do ódio” nos ônibus das operadoras britânicas Stagecoach e Arriva.

Graham vai fazer uma turnê pelo Reino Unido e deve chegar a Liverpool em 14 de maio. 

A empresa Arriva Bus UK disse que os anúncios do evento cristão estão dentro das regras de publicidade, mas irá revisar suas políticas internas. Um porta-voz da Stagecoach também afirmou que os anúncios aderem “aos padrões de publicidade”.

Ainda assim, o prefeito Steve Rotheram escreveu para as empresas de ônibus, pedindo a remoção imediata dos anúncios.

O pedido se deve às declarações de Graham em anos anteriores, que repercutiram no Reino Unido. Em 2018, ele foi rotulado como homofóbico por dizer que “o casamento é para um homem e uma mulher e é isso que a Bíblia nos ensina”, em uma entrevista à BBC News.

Em uma carta, o prefeito de Liverpool disse que sua região “nunca cederia àqueles que procuram nos dividir”.

“Dizer que estou com raiva por ter as opiniões de um conhecido pregador do ódio — que tem um histórico terrível de opiniões homofóbicas e islamofóbicas — sendo exibidas pela nossa cidade seria um eufemismo”, disse ele.

Os ônibus estão anunciando um evento do evangelista americano Franklin Graham. (Foto: Reprodução/Twitter/ToDealers)

Rotheram acrescentou que exibir as opiniões do pregador nos ônibus usados ​​por pessoas que “pertencem às mesmas comunidades para as quais Graham dirige seu fanatismo” é “indesculpável”.

Franklin Graham foi alvo de discrmininação, decidiu tribunal

Os anúncios dos eventos de Graham no Reino Unido já foram motivo de uma ação judicial, que rendeu uma vitória ao pastor no ano passado.

Um conselho do Reino Unido foi multado em £ 109.000 (equivalente a quase R$ 781.600) por proibir anúncios de uma campanha evangelística com Franklin Graham, violando seus direitos humanos.

Em 2018, o Conselho Municipal de Blackpool e o Serviço de Transportes de Blackpool removeram anúncios de ônibus para o Festival da Esperança, promovido pela Associação Evangelística Billy Graham (BGEA, na sigla em inglês). 

Na época, o Conselho decidiu remover os anúncios em meio à pressão de grupos LGBT e islâmicos, devido às declarações de Graham à BBC News sobre o casamento gay e extremismo religioso.

O caso chegou a uma conclusão no tribunal em julho de 2021, quando foi determinado que o Conselho deveria pagar a multa e emitir um pedido público de desculpas. No dia 9, a entidade desculpou-se “pelos transtornos causados”.

Apesar dos protestos e da tentativa de impedir Franklin Graham de entrar no país, o Festival da Esperança de Lancashire atraiu 9 mil pessoas em Blackpool, com mais de 50 mil visualizações online em todo o mundo, de 21 a 23 de setembro de 2018.

Rotheram acrescentou que exibir as opiniões do pregador nos ônibus usados ​​por pessoas que “pertencem às mesmas comunidades para as quais Graham dirige seu fanatismo” é “indesculpável”.

Franklin Graham foi alvo de discrmininação, decidiu tribunal

Os anúncios dos eventos de Graham no Reino Unido já foram motivo de uma ação judicial, que rendeu uma vitória ao pastor no ano passado.

Um conselho do Reino Unido foi multado em £ 109.000 (equivalente a quase R$ 781.600) por proibir anúncios de uma campanha evangelística com Franklin Graham, violando seus direitos humanos.

Em 2018, o Conselho Municipal de Blackpool e o Serviço de Transportes de Blackpool removeram anúncios de ônibus para o Festival da Esperança, promovido pela Associação Evangelística Billy Graham (BGEA, na sigla em inglês). 

Na época, o Conselho decidiu remover os anúncios em meio à pressão de grupos LGBT e islâmicos, devido às declarações de Graham à BBC News sobre o casamento gay e extremismo religioso.

O caso chegou a uma conclusão no tribunal em julho de 2021, quando foi determinado que o Conselho deveria pagar a multa e emitir um pedido público de desculpas. No dia 9, a entidade desculpou-se “pelos transtornos causados”.

Apesar dos protestos e da tentativa de impedir Franklin Graham de entrar no país, o Festival da Esperança de Lancashire atraiu 9 mil pessoas em Blackpool, com mais de 50 mil visualizações online em todo o mundo, de 21 a 23 de setembro de 2018.

Rotheram acrescentou que exibir as opiniões do pregador nos ônibus usados ​​por pessoas que “pertencem às mesmas comunidades para as quais Graham dirige seu fanatismo” é “indesculpável”.

Franklin Graham foi alvo de discrmininação, decidiu tribunal

Os anúncios dos eventos de Graham no Reino Unido já foram motivo de uma ação judicial, que rendeu uma vitória ao pastor no ano passado.

Um conselho do Reino Unido foi multado em £ 109.000 (equivalente a quase R$ 781.600) por proibir anúncios de uma campanha evangelística com Franklin Graham, violando seus direitos humanos.

Em 2018, o Conselho Municipal de Blackpool e o Serviço de Transportes de Blackpool removeram anúncios de ônibus para o Festival da Esperança, promovido pela Associação Evangelística Billy Graham (BGEA, na sigla em inglês). 

Na época, o Conselho decidiu remover os anúncios em meio à pressão de grupos LGBT e islâmicos, devido às declarações de Graham à BBC News sobre o casamento gay e extremismo religioso.

O caso chegou a uma conclusão no tribunal em julho de 2021, quando foi determinado que o Conselho deveria pagar a multa e emitir um pedido público de desculpas. No dia 9, a entidade desculpou-se “pelos transtornos causados”.

Apesar dos protestos e da tentativa de impedir Franklin Graham de entrar no país, o Festival da Esperança de Lancashire atraiu 9 mil pessoas em Blackpool, com mais de 50 mil visualizações online em todo o mundo, de 21 a 23 de setembro de 2018.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DA BBC NEWS

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.